News

Intuição e espontaneidade marcam as obras de Cláudia Alves

@Silva, Claudia Alves da/AUTVIS
Pintura digital: "Moradas da Minha Alma - 01", 2013

 

 

 

 

Ao som de jazz, MPB e samba, os traços de Cláudia Alves, filiada à AUTVIS, fluem sobre a tela em branco do computador. Diferente da maioria dos artistas, ela iniciou nas artes por meio da máquina. Foi em 2001, quando, em um curso gráfico, descobriu as ferramentas para pintar. Autodidata, a artista de 48 anos aprendeu com o mouse, a explorar as cores e contrastes no photoshop. Atualmente, Cláudia usa mesa digitalizadora e se arrisca em outras técnicas: óleo, nanquim, tinta acrílica, aquarela e caneta permanente sobre papel.



Para criar, a artista não faz esboços. Guiada pela intuição, pela espontaneidade e pela expressão do inconsciente, Cláudia possui uma percepção que foge da realidade e nega a obviedade e a lógica das formas. “Estar em paz comigo mesma me faz ver beleza em pequenas coisas e o resultado é inspiração”, conta. Ela atribui o sucesso em sua trajetória artística a sua família e, principalmente, ao apoio da amiga Ana Cristina Aragão.



Suas origens são retratadas na obra “Minha infância em formas” (foto abaixo). A imagem é uma alusão a esse período da vida da artista. Ali estão representados seus pais, a tia e o tio. “Pessoas fundamentais em minha vida”, diz Cláudia. Nessa obra, ela busca encontrar uma linguagem lírica a partir das formas lúdicas. “Resultou em um trabalho ingênuo e poético”, avalia.



As obras de Cláudia são pessoais. A série “Moradas da Minha Alma” (foto) é autobiográfica. “Aquela mulher da imagem sou eu, contemplando várias fases da minha vida, cada experiência foi guardada em um lugar especial”, conta. Cláudia explica que os títulos de suas telas são dados após o término das obras, e são baseados nas imagens que ela enxerga.

Porém, como seus trabalhos são abstratos, a artista reconhece que, ao admirá-los, cada pessoa pode fazer suas próprias interpretações.
Para a artista, a importância da AUTVIS está, principalmente, na necessidade dos artistas se dedicarem exclusivamente à arte. “Lido com a questão autoral cuidadosamente. É essencial ter nossos direitos assistidos por uma instituição séria. Isso é um alívio para todos os artistas”, diz.

 

Confira aqui a galeria da artista.

Autor: Linhas Comunicação

REDES SOCIAIS AUTVIS
 

Agenda

São Paulo

Olá Maurício !

18/07 a 15/12/2020 - Centro Cultural FIESP

Saiba Mais